Follow by Email

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Eu e o Claúdio.

É um tive um vizinho chamado Claúdio, e o cara era muito gente boa!

Já que meu pai adiava, sem dó, minhas primeiras aulas, restou-me, como que na brincadeira, perguntar ao meu vizinho, se ele poderia me ensinar a pilotar.
Garanti que já tinha tido minha primeira aula, o que nunca deixou de ser verdade, e que poderia conduzir sua "enorme motocicleta", com 14 anos todas pareciam grandes! Mas aquela 125 vermelha parecia uma CB400! Tinha os detalhes dourados e aquilo a fazia linda, ao meu ver!
Ele sem medo concordou, e fomos, eu na "boléia" e ele na garupa.
Arranquei sem pestanejar, fomos durante três quadras, mudando algumas marchas, testando o acelerador, com um sorriso que não era meu. Até que ele disse, "vire a direita", eu bem que tentei...
Mas nada saiu como eu planejei, e ao fazer a curva, conheci minha primeira valeta, mas conheci profundamente!
Voltei na garupa, da moto cheia de merda, mas finalmente minha segunda aula. Marcante!

sábado, 7 de maio de 2016

Aos 13...

E eu já tinha 13 anos, já estava familiarizada com a motocicleta, ela já me levara várias vezes em sua garupa, com meu pai na condução, claro! 
Mas eu queria mais, queria eu mesma conduzir o "bicho" (CGzinha 125), ter a emoção de sair sozinha. Me restava tentar convencer meu pai de que eu era capaz, mas como?
Com jeitinho cheguei falando... "Pai, se eu lavar sua moto, você me ensina a pilotar?"
Não esperava que ele topasse, mas para minha surpresa, sua resposta foi sim. Foi aí que dei tudo de mim, levei, escovei, lustrei, me esmerei para que fosse o melhor banho já dado naquela moto. Ao terminar, toda orgulhosa, cobrei primeira minha aula, meu pagamento, mas meu pai disse. "Marta, eu vou te ensinar, mas não será hoje, pois você me pediu para eu te ensinar, mas não combinamos quando."
Bobeira a minha, que serviu como ensinamento, tanto de como lavar bem uma moto, quanto de como negociar um pagamento pelo serviço.
Dois meses depois, lá estava eu novamente, fazendo uma nova tentativa. Lavei, lustrei, e fiz de tudo para que ela ficasse como nova. E já sentada na moto, ligada, cobrei meu pagamento, dessa vez combinado para o mesmo dia! E veio meu pai, dar as dicas da tão esperada primeira voltinha.
Ele me ensinou sobre as marchas, a embreagem e o acelerador e eu fui... Rsrsrs. Calma, não tão rápido assim.
Pois quando percebi, estava acelerando, mas a moto não saia do lugar, meu pai, mais que esperto, levantou a traseira da moto, freando meu primeiro vento no rosto e consequentemente meu sorriso.
E eu o ouvi dizendo atrás de mim. "Pronto, acabou sua primeira aula."
Nossa, lembro que foi uma decepção, achei que ia sair passeando, assim, fácil, de primeira... mas meu pai sempre soube o que estava fazendo!



quinta-feira, 5 de maio de 2016

Cuidados ao deixar sua moto para vender.

Pessoal, sei que é fácil falar isso de quem trabalha no ramo, mas prestem atenção a algumas dicas ao deixar suas motocicletas para vender. 
Além de todo o cuidado com a escolha da revenda, que é um caso a parte, quero falar sobre os cuidados com a motocicleta mesmo.
Muitas pessoas ao decidir vender algo, pensam... Ah, como vou vender, deixa como está, isso é sinal de problemas lá na frente. Problemas ocasionados por falta de cuidado do vendedor recaem sobre ele uma hora ou outra, falta de manutenção adequada podem causar quebras, são os chamados problemas ocultos. Além disso, a lei do retorno sempre vale para nós também.
O abastecimento por exemplo, muitas pessoas deixam as motocicletas para vender com a gasolina na reserva, o que acontece é que na loja a motocicleta é ligada diariamente, as vezes mais de uma ou duas vezes por dia, fazendo com que os resíduos, sujeiras e outros componentes presentes no resto de combustível dirijam-se aos bicos injetores ou ao carburador, trazendo problemas para todo o sistema. Vale a pena colocar um "vintão" e não passar por isso.
Outra coisa é a revisão, sei bem dos custos que podem chegar até a mais leve das manutenções em nossas máquinas, mas o custo de fazer um motor, buscar a moto de guincho, pagar a locomoção do comprador e outras despesas podem ser infinitamente maiores... Então pensando nisso, faça uma revisão antes de vender. 
Pneus. Puxa vida, como vejo motos a venda com pneu careca, preciso comentar?
Bateria, volta e meia me deparo com motocicletas que não tem bateria nem para que o interessado possa ouvir o som da poderosa, isso é no mínimo desanimador, se não pode colocar uma original, pelo menos uma paralela de boa qualidade.
Tudo isso, pode fazer com que a venda ocorra mais rápido, mais fácil e sem retornos e preocupações para quem vendeu e quem comprou, e assim cultivamos boas e belas amizades, ao invés de más e terríveis inimizades!