Follow by Email

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Eu e o Claúdio.

É um tive um vizinho chamado Claúdio, e o cara era muito gente boa!

Já que meu pai adiava, sem dó, minhas primeiras aulas, restou-me, como que na brincadeira, perguntar ao meu vizinho, se ele poderia me ensinar a pilotar.
Garanti que já tinha tido minha primeira aula, o que nunca deixou de ser verdade, e que poderia conduzir sua "enorme motocicleta", com 14 anos todas pareciam grandes! Mas aquela 125 vermelha parecia uma CB400! Tinha os detalhes dourados e aquilo a fazia linda, ao meu ver!
Ele sem medo concordou, e fomos, eu na "boléia" e ele na garupa.
Arranquei sem pestanejar, fomos durante três quadras, mudando algumas marchas, testando o acelerador, com um sorriso que não era meu. Até que ele disse, "vire a direita", eu bem que tentei...
Mas nada saiu como eu planejei, e ao fazer a curva, conheci minha primeira valeta, mas conheci profundamente!
Voltei na garupa, da moto cheia de merda, mas finalmente minha segunda aula. Marcante!

Nenhum comentário:

Postar um comentário