Follow by Email

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Harley Mind

Era 1998, fazia muito tempo que as motocicletas surgiam em meus sonhos, mas na vida real estavam longe de se materializar, trabalhava para uma marca francesa e a faculdade de Estudos Sociais me consumia todo o tempo restante, mas quase no final do ano conheci um homem, seu nome é Eduard, um amigo nos apresentou, nascia ali uma amizade, que me rende até hoje boas lembranças.
Um canadense que vivia no Brasil, me contou em uma de nossas conversas, que tinha uma moto, com emoção, foi o que percebi, que era uma Harley e que nunca imaginou te-la, mas que lhe havia trazido muitas alegrias. E me ofereceu conhece-la, claro que eu aceitei, e me imaginei ao lado da bela máquina, olhando, rodeando-a quase hipnotizada. E esperei que fosse logo. Eis que chegou o dia e de uma breve explicação saiu uma volta na Harley, uma 1958, se não me engano, MEU DEUS!!!! Foi demais!!!!! Quando passávamos com a Harley as pessoas olhavam de dentro dos carros e as crianças acenavam, Os outros motociclistas davam um positivo, todos admirando aquela lenda, ali, tão viva, roncando alto na pista.
Algumas semanas depois fui a um encontro, na nossa querida Antonina - PR, tinham muitas Harley, pelo menos me parecia em 1998!! Nunca tinha visto tantas! Talvez 30 delas. Vi Shovelheads, Panheads e as mais modernas as Evolutions.
Seus pilotos eram animados e nas conversas regadas a largas gargalhadas falavam sobre suas motos, seus poderosos motores e sobretudo, sobre suas viagens, as que já traziam na memória e as que ainda planejavam fazer. Fui me envolvendo, ficando a vontade, já sabia pilotar, já tinha gasolina nas veias, mas aquilo era como se me tivessem ligado o RUN!!! Bom, lá se vão 19 anos. Nada!!! Perto de tudo que ainda preciso saber, viver, sentir, rodar, dividir e aprender!



Nenhum comentário:

Postar um comentário